Tecnologia OTT (over-the-top) – ON DEMAND

BRASIL É O 8º MERCADO EM OTT/ON DEMAND NO MUNDO

O termo OTT – Over the Top – em português, Acima do TOPO, OTT (over-the-top) é como se denominam os serviços de áudio e vídeo pela internet, dos quais os mais conhecidos no Brasil são Netflix e iTunes. O próprio YouTube, embora gratuito (por enquanto), se enquadra na categoria, assim como novos serviços que estão chegando, via Google e Amazon, por exemplo. São redes que concorrem diretamente com a TV por Assinatura, pois alugam filmes a preços irrisórios se comparados aos das operadoras.

OTT services são aqueles serviços disponíveis para contratação direta, muitas vezes sem custo entre o usuário e o provedor do serviço, sem necessidade de intermediários. Trazendo para o contexto Telecom x Internet, os serviços OTT são o modo clássico de relacionamento comercial na Internet e representam uma ameaça ao modelo de negócio clássico de Telecom, onde a operadora sempre atua como intermediário (broker) obrigatório de todas as transações. Se a operadora perder as suas receitas de brokering, só restará a receita de tráfego e esta, como sabemos, é declinante com o tempo. Daí a percepção da ameaça representada pela competição com os provedores de serviço OTT da Internet (ex.: Google, Amazon, Facebook, etc.).

Portanto, em síntese, Over The Top, ou OTT, refere-se a entrega de conteúdo audiovisual e também de outras mídias através da internet. Essa tecnologia conquista mais espaço a cada dia, graças a mudança no perfil dos consumidores, que agora buscam entretenimento em qualquer lugar, a qualquer hora. Essa mudança de comportamento se deve a quantidade de dispositivos conectados, gerando uma necessidade de experiências sob demanda.

Atualmente, um dos carros chefes na utilização da tecnologia OTT na America Latina é o Netflix, ele está presente nos computadores e também em smartphones (Androids, IOS e Windows Phone), além de videogames, como o Xbox One e o Playstation 4.

Segundo pesquisa da consultora Frost&Sullinvan, o aumento da demanda OTT deverá aumentar consideravelmente até 2018, devido ao crescimento no número de dispositivos com essa tecnologia. A pesquisa também mostra que, em 2013, a receita do mercado de vídeo OTT chegou a marca de US$ 96 milhões, e a projeção para 2018 é que essa marca atinja US$ 783 milhões.

Além da alta disponibilidade e acesso ilimitado a filmes e seriados, o preço inferior ao serviços de televisão tem chamado a atenção dos usuários, fomentando a procura pelos serviços OTT. Percebendo isso, as grandes empresas de televisão paga vêm construindo estratégias para frear tal crescimento. A principal delas é a disponibilização de vídeos sob demanda (VoD), integrando serviços como o Netflix e pacotes multiple-play (assistir canais de forma simultânea) a seu portfólio de opções.

Segundo a Frost&Sullivan, o impacto que o avanço das OTT causa na receita das TVs por assinatura ainda é pequeno, inferior a 1%, mesmo assim as empresas já percebem que esse impacto vem de duas fontes diferentes: o cancelamento total do serviço e a substituição pelo OTT, ou o downgrade dos planos atuais, e a opção do consumidor por um serviço mais simples, atrelado aos vídeos Ober The Top Content.

Fontes: [1] http://blog.futurecom.com.br/avanco-da-tecnologia-ott-interfere-mercado-de-tv-paga-na-america-latina/

[2] http://orlandobarrozo.blog.br/

[3] Gustavo Caetano – CEO Samba Tech